Produtos & Serviços

por klauzer17@ klauzer17@ Nenhum comentário

Saiba o que diz a norma do vidro temperado

Confira a matéria produzida pela REVISTA DO VIDRO IMPRESSO: 

A NBR 14698, criada em 2001, especifica os requisitos gerais e defeitos, manchas e distorções que podem ocorrer no vidro temperado, esclarecendo sobre o limite tolerável

A norma NBR 14698 – Vidro Temperado especifica os requisitos gerais, métodos de ensaio e cuidados necessários para garantir a segurança, a durabilidade e a qualidade do vidro temperado plano em suas aplicações na construção civil, na indústria moveleira e nos eletrodomésticos da linha branca. Também fornece a metodologia de classificação deste produto como vidro de segurança.O vidro temperado vidro é constituído de uma única chapa cuja resistência a esforços mecânicos é aumentada em decorrência do tratamento a que é submetido. Em caso de quebra, estilhaça em centenas de pequenos pedaços não pontiagudos sem lascas cortantes, por isso o vidro temperado é considerado um vidro de segurança.

 

Defeitos no vidro temperado

A norma cita alguns tipos de defeitos que podem aparecer no vidro temperado. Os defeitos considerado lineares são arranhões, riscos, fios de cabelo e defeitos pontuais estendidos. O fio de cabelo são riscos circulares muito finos, dificilmente notados e atribuídos às técnicas de polimento do vidro. Defeitos pontuais podem ser nódoas, sujeira, infundidos, inclusões gasosas, partículas de estanho e outros defeitos semelhantes. Em certos casos, cada defeito pontual pode ser acompanhado de uma zona de distorção ótica ao seu redor (halo). Somente o núcleo do defeito é passível de medição, não considerando-se o halo.

 

Outros defeitos podem ser causado por bolhas de ar presentes na massa do vidro, corpos estranhos como qualquer partícula indesejada introduzida no vidro temperado durante a fabricação e manchas visíveis no vidro temperado, como por exemplo marcas de estanho. Somente ocorre um acúmulo de defeitos se quatro ou mais defeitos estiverem a uma distância menor do que 200 mm entre si e somente são considerados os defeitos maiores e iguais que 30 mm.

 

Também pode ocorrer deformidade nas bordas. As pinças utilizadas para suspender o vidro durante a têmpera produzem depressões na superfície do vidro, conhecidas como marcas de pinça. Os centros das marcas de pinça são situados até um máximo de 20 mm a partir da borda. Uma deformação da borda menor que 2 mm pode ser produzida na região da marca de pinça e também pode haver uma região de distorção óptica com raio máximo de 100 mm.

 

Vale ressaltar que o efeito causado pela anisotropia não é considerado defeito. A anisotropia (efeitos de polarização) é uma característica óptica do vidro temperado inerente ao processo de têmpera. O processo de têmpera produz áreas com esforços diferentes na seção transversal do vidro, produzindo um efeito de dupla reflexão, que é visível sob luz polarizada. Esse efeito manifesta-se sob a forma de manchas coloridas. A luz polarizada ocorre durante o dia e sua quantidade depende da estação climática do ano e do ângulo do sol.

 

Planicidade e empenamento

Pela própria natureza do processo de têmpera, não é possível obter um produto tão plano quanto o vidro comum. Dependendo da espessura nominal, das dimensões e da proporção entre as dimensões, pode ocorrer uma distorção conhecida como empenamento. Há dois tipos de empenamento: empenamento total e empenamento localizado. O empenamento total, em geral, tem condição de ser acomodado pelo sistema de caixilho. O empenamento localizado precisa ser reduzido para se acomodar aos materiais de encaixilhamento e vedações impermeabilizantes.

 

Para medir o empenamento a chapa de vidro temperado deve ser colocada em uma posição vertical e suportada em seu lado mais longo por meio de dois blocos de apoio. A deformação deve ser medida ao longo das bordas do vidro e ao longo das diagonais, como sendo a distância máxima entre uma régua reta de metal, ou um arame esticado, e a superfície côncava do vidro. O valor do empenamento é então expresso como sendo a deformação, em milímetros, dividida pela medida do comprimento da borda do vidro, ou diagonal, em milímetros, conforme apropriado. A medição deve ser executada na temperatura ambiente.

 

Borda, furos, recortes e formatos

Após ser submetido ao processo de têmpera, o vidro não pode ser cortado, serrado, perfurado ou ter sua borda trabalhada.  Todo vidro que for temperado deve ter sua borda trabalhada antes do processo de têmpera. Caso exista algum defeito na borda do vidro, este não deve ser encaminhado ao processo de têmpera. O acabamento das bordas deve seguir as seguintes recomendações: bordas que forem protegidas (embutidas) devem ser no mínimo filetadas; bordas que forem expostas devem ser lapidadas ou bisotadas.

 

Os fornecedores do vidro temperado devem ser consultados sobre os diversos tipos de acabamento de borda existe, assim como no caso de furos e recortes. O fabricante deve ser consultado para que a integridade da chapa de vidro temperado não seja comprometida em decorrência de uma especificação inadequada dos recortes e da furação. Podem ser produzidas chapas em formatos especiais, não retangulares e, nesses casos, os fabricantes devem ser consultados, pois deve existir um acordo prévio sobre as características das tolerâncias do projeto.

 

Alguns defeitos no aspecto visual podem ocorrer nas áreas de visão e de borda do vidro temperado. A área de visão (zona central) é determinada pela diferença das medidas da chapa com a área de borda (zona periférica). A zona periférica é a faixa que acompanha o perímetro da chapa de vidro, de largura correspondente a 10% da dimensão da chapa em relação à sua respectiva borda.

Fonte da matéria: Revista do Vidro Impresso

por klauzer17@ klauzer17@ Nenhum comentário

Modelos de guarda-corpos para você se inspirar

10 modelos de guarda-corpos para inspiração

Qual o modelo e material ideal para a sua casa? Seja de madeira, inox, ferro ou vidro… Tudo vai depender do estilo e decoração do ambiente. Por isso, separamos modelos de guarda-corpos em diferentes composições e combinações parar você escolher os seus preferidos e utilizar como inspiração:

1. Despojado e super discreto

FOTO: REPRODUÇÃO /PESSOA ARQUITETOS

Os guarda-corpos de ferro forjado acompanharam o estilo industrial da escada e ficaram ao mesmo tempo discretos, simples e charmosos.

2. Para uma decoração estilosa, aposte nas curvas

FOTO: REPRODUÇÃO /BERNARDES ARQUITETURA

Para ganhar uma pegada mais moderna e estilosa, o guarda-corpo de gesso ganhou um formato arredondando e cheio de curva.

3. Pé direito alto e cores neutras em uma decoração clean

FOTO: REPRODUÇÃO /FELIPE HESS

O guarda-corpo de ferro em linhas retas é uma ótima opção para quem quer algo discreto. Nessa composição, ele harmonizou perfeitamente com a paleta de cores em tons neutros da sala.

4. Combinando com o piso e com o corrimão

FOTO: REPRODUÇÃO /SANDRA PICCIOTTO

Aqui o guarda-corpo, corrimão e pisos de madeira se destacaram na parede e tetos de cor branca, formando uma bonita paleta de cores. Além disso, a escolha pelo mesmo material para os três itens, dá a sensação de continuidade e aumenta a amplitude visual.

5. Fachada com guarda-corpo de madeira em destaque

FOTO: REPRODUÇÃO /REINACH MENDONÇA

A fachada dessa casa priorizou o pé direito alto e vãos amplos e fluidos. O guarda-corpo de madeira sem grandes aberturas ficou em destaque e garantiu privacidade aos cômodos do segundo andar.

6. Decoração em estilo industrial

FOTO: REPRODUÇÃO /OD VO

Para quem gosta de uma pegada mais industrial, o guarda-corpo de ferro é sempre uma excelente opção. Nessa combinação, as paredes brancas e o chão cinza deixaram o guarda-corpo em destaque, mas ao mesmo tempo, discreto.

7. Apartamento com cor branca predominante

FOTO: REPRODUÇÃO /ANTONIO ARMANDO DE ARAUJO

Esse apartamento com predomínio da cor branca recebeu um guarda-corpo da mesma cor para combinar. O destaque da decoração fica por conta dos objetos e móveis.

8. Fachada com madeira e guarda-corpo vazado

FOTO: REPRODUÇÃO /REINACH MENDONÇA

Para quem deseja fluidez e integração de espaços, o guarda-corpo vazado é uma ótima pedida. Nesse exemplo, o modelo de madeira combinou com o material das paredes e teto.

9. Quarto valorizando a paisagem externa

FOTO: REPRODUÇÃO /OFICINA CONCEITO ARQUITETURA

Em ambientes que valorizam a paisagem externa, o guarda-corpo de vidro é uma boa opção. Nesse quarto, a peça escolhida foi um guarda-corpo totalmente de vidro, preso ao chão por um batente baixinho de alvenaria.

10. Banco de madeira na fachada

FOTO: REPRODUÇÃO /JACOBSEN ARQUITETURA

E que tal um guarda-corpo que também funciona como banco? Nesse projeto, o guarda-corpo usado na varanda é um pouco mais baixo e largo que o convencional, além de proteger, pode ser usado como assento.

por klauzer17@ klauzer17@ Nenhum comentário

Importância do Guarda-corpo

Guarda-corpo: Para que serve?

Guarda-corpo é a estrutura de proteção utilizadas em ambientes elevados como varandas, passarelas, mezaninos e halls de escadas. Ele que impede que alguém caia de lugares com desníveis altos. Mas além de garantir segurança, é importante lembrar que ele também faz parte da decoração. Por isso, na hora de escolher qual o modelo de sua preferência, é essencial saber harmonizá-lo com o estilo e clima do ambiente.

São tantos modelos, materiais e acessórios disponíveis, que talvez você fique na dúvida sobre qual o mais adequado para sua casa. Para ajudar, nós conversamos com a arquiteta Nathércia Queiroz, especialista em construção sustentável e certificações ambientais e que, além de tirar algumas das nossas dúvidas, nos ajudou a montar uma listinha cheia de modelos e ambientes inspiradores. Acompanhe:

 Qual a importância do guarda-corpo?

FOTO: REPRODUÇÃO /BERNARDES ARQUITETURA

Lugares elevados precisam de proteções para impedir que as pessoas caiam no nível de baixo. E é exatamente para isso que existem os guarda-corpos! “Esse elemento utilizado na construção civil é uma espécie de muro baixinho usado em ambientes com desnível alto para proteger os passantes. Por ser um item de segurança, deve seguir as normas de instalação e altura corretas”, explica a profissional. Mas, além disso, claro que também serve para decorar e dar mais estilo aos espaços.

Quais os materiais disponíveis?

Os guarda-corpos podem ser feitos dos mais variados materiais, desde metais, como inox e ferro, até madeira, vidro e alvenaria. Além disso, é possível misturar mais de um material e criar uma peças diferentes e únicas. “Muitas vezes é feito um batente de alvenaria na parte inferior e o guarda-corpo é fixado sobre ele. Em outras, os modelos vazados de ferro ou inox, recebem placas de vidro para aumentar a segurança. Tudo vai depender do estilo e local em que será utilizado”.

Metal

FOTO: REPRODUÇÃO /FGMF ARQUITETOS

Os guarda-corpos de inox ou ferro são muito utilizados em varandas, mezaninos e sacadas de edifícios, pois além de permitirem a circulação de ar, integram espaços e trazem leveza à fachada. Além disso, são bastante duráveis e fáceis de limpar.

Vidro

FOTO: REPRODUÇÃO /ROBERTO MIGOTTO

O vidro é perfeito para quem quer dar amplitude a espaços pequenos. Guarda-corpos feitos com esse material podem ser usados em diferentes ambientes e estilos. Varandas, halls de escadas e mezaninos são os lugares mais comuns.

Madeira

FOTO: REPRODUÇÃO /RUSCHEL ARQUITETURA URBANISMO

Versátil, a madeira pode ser usada tanto em áreas externas, quanto internas, tudo vai depender do modelo e da combinação de cores e estilos. Além de bonitas, peças de madeira deixam qualquer lugar mais aconchegante e harmonizam com diversos materiais.

Alvenaria

FOTO: REPRODUÇÃO /BENDER ARQUITETURA

Os guarda-corpos de alvenaria são mais utilizados em varandas e áreas externas. Costumam ser totalmente fechados, para evitar que caia objetos no andar de baixo, garantindo maior segurança e conforto.

Qual a altura ideal?

FOTO: REPRODUÇÃO /ANTONIO ARMANDO DE ARAUJO

Segundo a profissional, para garantir a segurança e o conforto, “a altura mínima dos guarda-corpos é de 1.10 cm, contados a partir do chão”, explica.

Fonte: tuacasa.com

por klauzer17@ klauzer17@ Nenhum comentário

Evite esses 4 erros para o acabamento perfeito

Acabamento: Já elencamos três erros que você deve evitar se deseja uma obra com boa qualidade. Aqui elencamos outros 4 pontos que vocês precisa tomar cuidado na hora da escolha:

1. Portas de madeira oca e semioca

Ao comprar portas de madeira fique atento para as folhas de portas ocas e semiocas, aquelas mais baratas. Eu comprei duas portas e ambas apresentaram o mesmo problema na preparação delas para o assentamento, ou seja, ela estufou, pois, é uma madeirinha bem fininha que reveste a porta. Portas de entrada ou locais onde possa haver umidade escolha madeira maciça.

Há basicamente três tipos de portas de madeira:

  • Oca: Quando ela é revestida de madeira e por dentro é oca. É a pior opção.
  • Semioca: Segue o mesmo princípio, mas ela tem enchimento de madeira também. Indicada para uso interno na casa, como portas de quartos e banheiro, por exemplo.
  • Maciça: Feita de madeira mesmo, ainda que seja de pedaços de madeira para formar desenhos e criar formas variadas, mas é madeira maciça. Esta é a melhor opção e consequentemente a mais cara. É indicada para portas de entrada ou locais onde há a possibilidade de receber umidade.

2. Largura das portas

Existem várias larguras de portas e é muito importante ficar atento a isto. Colocar porta muito estreita pode ser um erro grave. Pessoas com cadeiras de rodas podem ter dificuldades de se locomover, assim como a entrada de móveis e outros objetos maiores.

Portas de entrada devem ser mais largas, até para ter uma aparência melhor esteticamente. As internas podem ser mais estreitas, mas considere a necessidade.

As larguras mais comuns e padrão são as seguintes:

  • 2,10 x 0,70
  • 2,10 x 0,80
  • 2,10 x 0,90
  • 2,10 x 1,00
  • 2,15 x 1,20
  • Entre outras

3. Posição de portas e janelas

Outro erro pode estar relacionado à posição das portas e janelas. Se você for como eu que gosta de dormir com janelas abertas é importante pensar na posição dela em relação à cama para evitar que você acorde com o sol batendo no seu rosto, assim como a incidência de chuva e sol no período da tarde.

A janela da cozinha, por exemplo, deve ser pensada em termos de usabilidade e também na questão da posição do sol. Normalmente ela é colocada em cima da pia da cozinha.

Portas de entrada não devem ficar expostas ao sol e chuva se o produto for madeira ou ferro. Apenas a madeira maciça é mais resistente, mas no caso de chuva ainda assim é bom evitar. Se não houver cobertura para a porta, o ideal é que ela seja de alumínio.

4. Acabamento

Outro erro pode estar relacionado a forma como você dá o acabamento, especialmente em madeira. Lembro de quando fui envernizar as portas de uma casa que construí e não atentei para o fato de que a madeira arrepia quando se aplica o verniz e lixei a porta para depois aplicar o verniz. O resultado não ficou bom. O ideal é chamar um profissional de pintura para fazer um acabamento de qualidade, especialmente em portas e janelas de madeira.

No caso de janelas, o ideal são os modelos de alumínio branco que já vem prontas e com acabamento, sem contar que é um material que não sofre com ferrugem e a durabilidade é muito grande.

Há também uma tendência do uso de vidro ou o Blindex nas janelas. Já comentei sobre isso acima e creio que precisa ser muito bem avaliado esta opção pelos motivos já relatados. Já para os casos de sala, cozinha e escritório, por exemplo é uma ótima opção usar vidro.

Fonte: CasaDicas

por klauzer17@ klauzer17@ Nenhum comentário

Divisória de Alumínio: Tendência corporativa

Simplicidade e facilidade de instalação são as palavras de ordem quando o assunto é divisória de alumínio. Montadas em forma de “módulos”, com perfis de divisória de alumínio, essas estruturas podem ser adaptadas de acordo com a necessidade. Sem dúvida nenhuma, esse tipo de divisória permite uma excelente configuração de espaços interiores, tanto para locais que exigem privacidade como em locais que precisam de visibilidade.
Perfil de alumínio para divisória

Práticas e permitem a movimentação e deslocamento para novas áreas com facilidade. Uma estrutura desse tipo é constituída por perfis de alumínio para divisória, que podem ser anodizados ou pintados, de acordo com a preferência. As estruturas podem ser visíveis ou ocultas, o que proporciona versatilidade e sofisticação nos mais variados projetos.

Divisória com perfil de alumínio

Possibilitam a conjugação de várias soluções tornando o local de trabalho mais atrativo e funcional. Em muitos casos, de acordo com a necessidade, em função do fluxo de pessoas no local pode ser instalada cantoneira de alumínio para divisória. Esse acessório confere proteção extra contra impactos além de manter o acabamento conservado, livre de riscos e lascas.

O revestimento usado nas divisórias pode ser de diversos materiais como folhado de madeira, melamina, vidro, PVC, entre outros. Em locais cujo isolamento térmico e acústico são fatores importantes, a divisória de alumínio permite a colocação de mantas de lã de rocha, no seu interior, otimizando sua funcionalidade.

Divisória de alumínio e vidro

As divisórias de alumínio com vidro são tendência na organização de escritórios e espaços corporativos, pois imprimem elegância aliada à praticidade no local. Para a montagem, a instalação sobre a estrutura pode se dar com aplicação de vidro simples (aplicado apenas em uma face da divisória) ou vidro duplo (colocado nas duas faces). Nos dois casos, poderão ser colocados estores horizontais de 15mm ou 25mm.

Fonte: Hyspex.com.br

por klauzer17@ klauzer17@ Nenhum comentário

Structural glazing: como é feita?

Conheça a strutural glazing ou pele de vidro

A Pele de vidro, ou structural glazing é uma técnica de aplicação de vidros em fachadas de imóveis, esta é muito bem recomendada para estruturas de médio e grande porte, visto que as paredes do edifício ficam com uma visão uniforme envidraçada, garantindo uma vista clean.

Dependendo da boa localização e escolha do vidro usado, cortinas e persianas podem ser dispensadas, em outros casos, a boa entrada de luz ajuda ainda a economizar na conta de energia. Utilizar fachadas de vidro é uma boa estratégia de marketing para quem quer seguir alguns princípios de sustentabilidade na empresa. Além de aumentar o conforto nos ambientes por isolar o som e manter a temperatura agradável.

 

A popularidade da pele de vidro no Brasil vem aumentando entre os prédios corporativos. Conheça alguns benefícios das fachadas pele de vidro:

Fixação de base ou instalação: Há três maneiras de instalar esse vidro. 1) colocar uma base que fixará toda a estrutura, esses itens são chamados de Stick ou Grid, estes segurarão todos os lados do vidro quando for colocado. 2) vidros unitizados. Nesse processo, toda a estrutura vem de fábrica, assim é necessário apenas fixar os vidros nas paredes, mas para isso é preciso na maioria das vezes o uso de guindastes. 3) híbrido é uma mistura dos dois. Em algumas partes, pode ser usado o stick e em outras o unitizado.

Tipo de vidro escolhido

Como já citado, o vidro pode fazer uma grande diferença no espaço. Pode ser usado um vidro espelhado por fora para manter a privacidade, pode-se também optar por vidros claros para facilitar a passagem de luz para dentro do edifício.

Solicite um orçamento agora mesmo!

Fonte: SalesMetal

por klauzer17@ klauzer17@ Nenhum comentário

Pele de Vidro: o que é esse tipo de fachada?

 Pele de vidro : vantagens e desvantagens

Não tem nada a ver com cútis – pelo menos não com a nossa, se é que posso dizer assim… Pele de vidro é um tipo de revestimento de fachada no qual é colocado uma espécie de esquadria de alumínio que recebe vidros laminados de aproximadamente 6 mm, geralmente coloridos.

A esquadria pode conter ainda chapas de alumínio e resina. E tem muito mais sobre pele de vidro, para você entender melhor como tirar proveito dela. O post só está começando… Vamos lá!

A pele de vidro, também chamada de fachada cortina estructural glazing, é perfeita para projetos de grande ou médio porte. E no Brasil é mais usada em edifícios corporativos, embora possa ser aplicada tranquilamente em residências.

Empresas, especialmente as multinacionais, costumam dar preferência a projetos como esse para conquistar pontos em selos de sustentabilidade. Portanto, a técnica é uma das preferidas dos que buscam certificações como estratégia de marketing.

O método permite que as estruturas de alumínio fiquem escondidas, ou seja, o visual é mais clean e leve, pois a fachada é completamente envidraçada – com vidros transparentes ou refletivos.

Mas não é só isso! As fachadas pele de vidro oferecem versatilidade, diferenciação entre os projetos, permitindo trabalhos como mosaicos, jateamento e vitrais.

 Para fixar o vidro por meio da técnica é utilizado um adesivo estrutural de 3M, uma fita dupla face altamente resistente.

por klauzer17@ klauzer17@ Nenhum comentário

Pele de vidro: fachada mais bonita e ambiente mais agradável

Pele de vidro: fachada mais bonita e ambiente mais agradável

peles-de-vidro-custo-jardim-alvorada

O método pele de vidro permite uma iluminação natural, além de ser muito atraente.

Ao escolher um material refletivo, o grande ponto positivo é a possibilidade de dispensar cortinas e persianas. Isso, sem comprometer o conforto térmico, permitindo a boa temperatura do ambiente.

A escolha do tipo de vidro precisa levar em consideração não somente a parte estética, mas também as necessidades essenciais de cada projeto.

Veja um resumo das vantagens e desvantagens da técnica pele de vidro:

• Redução do consumo de energia elétrica. Uma vez que as luzes e equipamentos de refrigeração passam a ser menos utilizados.
• Dinamização da logística do canteiro de obras, acelerando etapas.
• Permite criar fachadas com forte apelo visual, sendo encontrada especialmente em áreas ininterruptas.
• Maior segurança aos espaços. A aplicação de película proporciona ao vidro melhor resistência, além de privacidade aos que se encontram no interior.
• Auxilia na redução considerável da incidência dos raios ultravioletas, evitando o envelhecimento precoce.
• Um dos pontos negativos é o preço no Brasil, porque não há muita mão de obra especializada em sua aplicação.
• Outra desvantagem é que a pele de vidro estilo stick ou grid, por exemplo, precisa ser montada totalmente no canteiro de obra.

A pele de vidro tipo stick passa primeiro pela montagem da estrutura de fixação no prédio – depois, é feita a colagem dos vidros.

Já na versão unitizada da pele de vidro, os vidros são colados à estrutura ainda em fábrica.

por klauzer17@ klauzer17@ Nenhum comentário

Inspire-se nestes guarda-corpos

Veja alguns modelos de guarda-corpos para você se inspirar

Quando falamos em casas com escadas, varandas, lajes e tudo mais que esteja acima do nível do solo devemos sempre ter em conta a segurança das pessoas que irão transitar por esses espaços, principalmente no caso de crianças. Eis que entra o guarda corpo – que tem como principal função garantir a proteção das pessoas que circulam por esses locais.

Guarda corpo de vidro de escada de concreto

Guarda corpo de vidro de escada de concreto

A composição dessas peças pode variar bastante de acordo com o local em que é utilizado. Dentre os diversos tipos de guarda corpo temos o de vidro, que traz com ele várias dúvidas sobre onde usar, se é seguro ou não, enfim… Vamos descobrir isso e muito mais hoje!

Modelos de guarda-corpos de vidro

Os dois principais modelos de guarda corpo de vidro são: os que utilizam vidro laminado e os que utilizam vidros temperados. Qual a diferença? A diferença está na resistência em relação aos impactos frontais do produto, enquanto o laminado apresenta uma baixa resistência a este tipo de impacto o temperado apresenta um alto nível de resistência a qualquer tipo de impacto, inclusive frontal. Sendo os dois indicados para a utilização no guarda corpo, principalmente quando se trata de escadarias onde o risco de impacto frontal é mínimo.

Guarda corpo de piscina de vidro

Guarda corpo de piscina de vidro

Guarda corpo de vidro de sacada de vidro

Guarda corpo de vidro de sacada de vidro

Guarda corpo de vidro de escada com vidro laminado

Guarda corpo de vidro de escada com vidro laminado

guarda corpo de mezanino de vidro laminado

guarda corpo de mezanino de vidro laminado

Onde usar

Dentre os diversos locais em que o espaço permite a instalação de um guarda corpo de vidro podemos destacar os seguintes:

  • Escadas;
  • Varandas;
  • Sacadas;
  • Lajes;
  • Piscinas;
  • Parapeito.

É importante observar que os vidro usados para esse propósito deve ser usado um vidro de resistência comprovada parta garantir a segurança do usuário. Além disso, vidros laminados evitam soltar estilhaços cortantes.

por klauzer17@ klauzer17@ Nenhum comentário

Qual modelo de janela combina mais com o seu projeto?

Já falamos de alguns modelos de janela, agora conheça outros cinco

1. Janelas maxim-ares O nome pode parecer diferente, mas é um modelo bastante utilizado. O modelo abre para fora e por ter diferentes tamanhos pode ser facilmente usada em ambientes pequenos. Esse tipo é muito utilizada em banheiro, área de serviço e em algumas cozinhas que possuem espaço reduzido. Os modelos maxim-ar também podem ser usados em salas.

janelas maxim- ares vários tipos

2. Jan. de abrir modelo que abre para fora (é raro, mas também há modelos que abrem para dentro), pois são fixadas em batentes e tem rotação vertical no eixo. Esse tipo  é mais usual em quartos.

janelas de abrir em vários modelos

3. Jan. guilhotina  O modelo é mais comum de casas antigas, mas atualmente alguns modelos mais moderninhos de janela guilhotina já podem ser encontrados nas lojas. O modelo costuma ser de vidro, e é preciso um pouquinho de força para empurrar uma das partes para cima. Alguns modelinhos até possuem duas folhas que se abrem para fora, assim é possível instalar a janela no quarto para impedir a entrada de sol.

Resultado de imagem para janela guilhotina

4. Jan. camarão quando aberta tem as folhas (partes da janela) dobradas. O modelo costuma ser ideal para janelas compridas e deixa a janela charmosa ao ser aberta. A janela camarão pode ser instalada em quartos e sala.

modelo de janela camarão com folhas de vidro

5. Jan. de tombar Como o próprio nome já diz, ao abrir a janela a impressão que se tem é que ela tombou. A base inferior é fixa, e ela é movimentada na parte de cima, abrindo para dentro.

foto com grandes janelas de tombar

Top