Mês: outubro 2017

por klauzer17@ klauzer17@ Nenhum comentário

Pele de Vidro: o que é esse tipo de fachada?

 Pele de vidro : vantagens e desvantagens

Não tem nada a ver com cútis – pelo menos não com a nossa, se é que posso dizer assim… Pele de vidro é um tipo de revestimento de fachada no qual é colocado uma espécie de esquadria de alumínio que recebe vidros laminados de aproximadamente 6 mm, geralmente coloridos.

A esquadria pode conter ainda chapas de alumínio e resina. E tem muito mais sobre pele de vidro, para você entender melhor como tirar proveito dela. O post só está começando… Vamos lá!

A pele de vidro, também chamada de fachada cortina estructural glazing, é perfeita para projetos de grande ou médio porte. E no Brasil é mais usada em edifícios corporativos, embora possa ser aplicada tranquilamente em residências.

Empresas, especialmente as multinacionais, costumam dar preferência a projetos como esse para conquistar pontos em selos de sustentabilidade. Portanto, a técnica é uma das preferidas dos que buscam certificações como estratégia de marketing.

O método permite que as estruturas de alumínio fiquem escondidas, ou seja, o visual é mais clean e leve, pois a fachada é completamente envidraçada – com vidros transparentes ou refletivos.

Mas não é só isso! As fachadas pele de vidro oferecem versatilidade, diferenciação entre os projetos, permitindo trabalhos como mosaicos, jateamento e vitrais.

 Para fixar o vidro por meio da técnica é utilizado um adesivo estrutural de 3M, uma fita dupla face altamente resistente.

por klauzer17@ klauzer17@ Nenhum comentário

15 dicas para escolher a cortina certa

Vestir as janelas, controlar a luminosidade e garantir a privacidade do ambiente são deveres básicos da cortina em casa ou no escritório. Veja como fazer tudo isso e dar um toque final à decoração com dicas infalíveis!

  1. Saiba qual o papel da cortina no visual do ambiente: garantir a privacidade, controlar a luminosidade ou ruídos externos ou, somente, decorar o cenário.
  2. Evite cortinas de tecidos escuros em janelas onde o índice de luz solar seja intenso, pois é comum ela reter calor e aumentar a temperatura do ambiente.
  3. Aposte em tecidos leves para criar composições atuais e ecléticas, bastante usadas em ambientes com visual clássico, moderno ou despojado.
  4. Antes de concretizar a compra é preciso se certificar se o tecido da cortina é pré-lavado ou possui uma porcentagem de encolhimento, para não encolher na lavagem em casa.
  5. Escolha cortinas confeccionadas com tecidos 100% sintético caso a ideia seja lavá-las em casa, pois tecidos naturais devem ser lavados somente em lavanderias especializadas.
  6. O varão é a opção mais simples de instalar a cortina e combiná-la com qualquer decoração, além de garantir praticidade na hora de retirá-la, seja para limpá-la ou substituí-la por outro modelo. Já as ponteiras, além de dar o toque final à composição.
  7. Tecidos de tons mais escuros ou intensos costumam desbotar com a luz solar, portanto, verifique qual a incidência dela.
  8. Cortinas de tecidos encorpados ou estampados são mais indicados para servir de xale, pois, não comprometerão a composição.
  9. Opte por cortinas confeccionadas com tecidos de cores neutras para ter mais liberdade na hora de ambientá-las em cenários com elementos coloridos.
  10. Evite o uso de cortinas na janela do banheiro, pois elas podem mofar com a umidade. Caso seja indispensável, opte sempre por persianas em PVC – indicada também para a cozinha.
  11. Cortinas confeccionadas com tecidos mais pesados ou com sobreposições são ótimas para aquecer ambientes nas épocas mais frias do ano, como outono ou inverno.
  12. Tecidos leves e fluídos são ótimos para preservar – parcialmente – a privacidade do ambiente sem perder a luminosidade externa ou a vista para uma bela paisagem.
  13. Investir na cortina blackout pode ser uma boa solução para bloquear a entrada de luz ou promover o isolamento acústico no ambiente.
  14. Modelos de cortinas curtas caem bem apenas em quartos infantis, pela atmosfera descontraída, ou ambiente onde exista uma bancada ou móvel abaixo da janela.
  15. Faça a cortina até o teto caso a diferença entre ele e a janela seja de até 30 cm.Para garantir a elegância e o alongamento do pé-direito, deixe uma sobra de até 4 cm na barra.

Como calcular a medida certa

É fundamental saber a medida exata da janela para determinar a quantidade certa de tecido para cada estilo de cortina. Para quem optar por modelos prontos, o cálculo é simples: some a largura da janela a 40 cm* e multiplique o total por 2 caso o tecido seja encorpado (linho, algodão, shantung), ou por 3 se for mais leve (voile, seda).

Veja o exemplo: 3.00m (janela) + 20cm (lateral direita) + 20cm (lateral esquerda) = 3.40m x 2 = 6.80m de tecido

* É recomendado deixar 20 centímetros de sobra para cada lado da janela para evitar claridade indesejada, ações do vento ou comprometimento estético da cortina.

Fonte: Tok & Stok

Top